domingo, 25 de setembro de 2011

ZUMBIS!




"Andam como zumbis. 
Vivem como estivessem mortas.
Tem olheiras profundas
 Sorrisos contidos, alegrias curtas. Tristezas sem fim.
Andam de cabeças erguidas. 
Olhando a tudo e a todos
O que procuram? O que buscam? O que?
A quem?"

Apenas um minuto de distração, nem isto.
Para pagar a conta no guichê do banco, colocou seu menino no chão.
Ao estender as mãos para pegar, não o encontrou mais.
Nunca mais.
Procurou em todos os lugares e em todos os cantos. Dias e noites.
Pior foi não ter como explicar, todos mesmo sem nada dizer a acham culpada: “Seu marido, seus pais, seus sogros, seus parentes e amigos, suas filhas, ela mesma.”
Zumbi é assim que se sente.
Não sabe mais o que é dormir, sem pensar se ele tem um lugar para dormir.
Não come, sem pensar se ele come também.
Como sorrir?
Só vive por sua família e por ele, sua missão é o encontrar.
O que lhe dá força é a certeza de que o encontrará, não importa quando, mas o fará.
Deus a orientará por um caminho que a leve até ele.

Ivan de Souza Machado

sábado, 10 de setembro de 2011

O TALENTO DO MENTIROSO !

Mentia tanto, até descobrir que a maior mentira, era sua própria existência”

Para existir a mentira, tem que haver quem nela acredite.
Geralmente a pessoa que mente engana aos que estão próximos a ela, não que seja esperta, é que quando gostamos de alguém, temos a tendência de acreditar em todas as suas silabas, imagine então quando a amamos, aí faz o que quiser conosco: "Os filhos enganam os pais, o pai engana a mãe, a mãe ao pai, o namorado a namorada, esta a ele; os que se dizem amigos, e por aí vai."
O triste é que o mitômano tem consciência, mesmo que turva do que faz, por mais paradoxal é extremamente desconfiado e ciumento, crê que todos são espelhos seus que como ele não acredita nem nele próprio.
O maior talento do mentiroso é enganar a si mesmo.

Ivan de S. Machado

terça-feira, 6 de setembro de 2011

FIOS BRANCOS




Os fios brancos dos teus cabelos
marcam as vezes que neles pensei
as cores douradas que tingem os fios
escondem o tempo que te amei

ivan de s. machado