quarta-feira, 1 de março de 2017

SEMEADORES URBANOS


Segundo estatísticas, somos mais de 7.300.000.000(sete bilhões e trezentos milhões) de seres humanos, fora os não contatados. Crescemos aos milhares diariamente.
Como gerar alimentos suficientes, para sustentar tal número de pessoas?
As pastagens, ocupam cada vez mais o campo, dando a falsa impressão, de que esta é uma solução para todos, e não uma solução econômica para alguns.
A monocultura, ampliada pelo agronegócio, também faz crer ser um bom negócio para todos, quando na verdade, é um bom negócio para poucos, muito poucos.
Fabricas de produtos alimentícios, produzem cada vez em maior quantidade, usando cada vez mais a química, na conservação e produção. Gerando um número incalculável de antigas e novas doenças.
A distribuição e comercialização centralizada em poucas mãos, produz verdadeiros cartéis, que dominam a comercialização e ditam os preços, tornando-os extremamente caros.
Existem milhões de pessoas, fora deste mercado, sofrendo toda sorte de privações. Número cuja tendência é aumentar.
Percebe-se com mais facilidade nas grandes cidades. Quase não há, áreas que não estejam impermeabilizadas por camadas de asfalto ou concreto, escondendo a terra sob ela.
O que fazer para impedir? 
Com certeza existem soluções. Algumas dependem de nós. Na mudança de costumes e na criação de outros.
Vamos a feiras, mercados, supermercados, comprar frutas, hortaliças e cereais.
Ao consumirmos estes produtos, descartamos, como fosse lixo, sementes de mamões, abacates, goiabas, melões, melancias, limões, caquis, ameixas, pimentões, tomates, pimentas, etc.
Se mudarmos, este costume: Ao invés de jogarmos no lixo, colocássemos em papéis, jornais, etc. Não em plásticos, ou outro material não degradável. E jogássemos em qualquer terreno possível, como as marginais de rios, córregos, represas, praças, parques, etc.
Imaginem se nossos avós, tivessem feito isto?
Hoje, andaríamos por ruas e avenidas, praças, vielas e travessas, por baixo de mangueiras, goiabeiras, mamoeiros, abacateiros, amoreiras, limoeiros, laranjeiras, caquizeiros, ameixeiras, e uma infinidade de outras frutas e hortaliças.


E com certeza, a fome diminuiria muito.

ivan de souza machado.

3 comentários:

  1. Alguém, algum dia fez isso aqui nainha cidade. A caminho do meu trabalho, na calçada de uma avenida muito conhecida, tem uma goiabeira (vermelha). Eu sempre a admirei. Em meio ao trânsito constante, é o vai e vem das pessoas, as goiabas surgem cheirosas e para quem pega para comer, com certeza apetitosas.
    A sua ideia de jogarmos sementes por onde caminhamos é muito válida. E... Em tempo!

    ResponderExcluir
  2. E os erros no comentário acima, é porque estou escrevendo do celular. sempre apanho dele.rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também. Sempre leio teus escritos. Raramente comento. Você, traz amim lembranças muito queridas, de alguém, em tua cidade.

      Excluir