domingo, 14 de agosto de 2011

PAI NOSSO...!

“A casa dos pais sempre será a dos filhos, a deles nem sempre”


A ele devia a vida.
Bêbado. Caído na porta do bar, feito lixo, lá estava. A ela só restava resgatar, tirá-lo da sarjeta, aonde fora jogado.
Tantas foram às vezes que os amparou, levantou, socorreu, sem nunca cobrar ou queixar-se de nada.
Não perceberam o que estava acontecendo com ele, desde que a esposa, sua mãe partiu.
Estavam tão acostumados a serem auxiliados, que não notaram quando, nem o quanto, deles precisou.
Agora, sentada no chão, com a sua cabeça no colo, acariciando carinhosamente seus cabelos, beijando suas tão enrugadas faces, lembrava de que quando criança adorava passar seu rosto no dele sentindo a barba, fazer-lhe cócegas.
Seu pai, seu único pai.
Fez uma prece, agradecendo por poder cuidar dele, a que ensinou e tantas vezes juntos rezaram:-
“Pai nosso, que estás no céu
Santificado seja o Vosso Nome,
Assim na terra como no céu...”

Ivan de S. Machado

Um comentário:

  1. Olá Ivan,

    Comovente... pena que muitos pais não tem essa consideração de seus filhos e são simplesmente abandonados em asilos ou mesmo à própria sorte.

    Muitos filhos se esquecem que um dia ficarão velhos também... e olha que aqui se faz, aqui se paga, acredito muito nisso!

    Beijo

    ResponderExcluir